Felicidade como conceito

Outro dia escrevi num dos posts algo sobre as pessoas enxergarem a felicidade como conceito e não como sensação. Na hora que escrevi, pensei: “este tema vale um texto separado.” Aí fiquei com isso na cabeça e observei pessoas, situações, temas, opiniões, olhares, sorrisos e como eu também me vi sendo observada quando demonstrava algum tipo de “felicidade”. E foi engraçado perceber como alegria e felicidade se misturam, se confundem, se perdem e se encontram.

E agora? Falo de alegria ou de felicidade? Acho que uma sem a outra não tem como. Andam de mãos dadas. Às vezes uma não tem nada a ver com a outra já que a alegria é ainda mais sensação que felicidade. Mais imediata, mais latente. A gente se vê alegre muitas vezes, mas esquece que a felicidade é justamente isso: um conjunto de atos de alegrias. Ironicamente, temos a tendência também de esquecer como ser alegres (em atos…). Evocar alegria é algo semelhante a localizar um sentido, sem se preocupar ou sequer se dar ao trabalho de explicá-lo. Atos e mais atos destes resultam em algo que vai liberando tua energia pra além do “desejo” (que está, de um jeito ou de outro, na essência do homem) simples e vai te direcionando pro “desejo da alegria”. É como dar uma volta em direção de si mesmo e procurar, conhecer, se surpreender. Esta volta é ação. E precisamos de ação pra sermos alegres, pois somente a alegria ATIVA é a alegria boa, não a passiva, pois esta é fruto da imaginação. Por favor saiam do Matrix. Imaginação é bom, mas só quando colocada em prática (criatividade: imaginação em ação!).

Anyway, acredito que nestes “atos de alegria”, tenhamos que unir pensamento com sensibilidade. Pensem na frase usada com muita propriedade “enjoy your trip” pelos nossos queridos anglo-saxões… Deveríamos muito bem dizer também “enjoy the world”, “enjoy your ride in life”, não concordam?

A alegria deve ser vista e sentida num mix de SER e ESTAR. E aqui vou mais longe ousando diferenciar aqui o verbo “ser” do “Ser” como pessoa. Para que alguém chegue a Ser, este precisa primeiro estar convencido da tua própria liberdade. Liberdade mental, psicológica, física, de expressão, de si próprio… Liberto mesmo. Liberto para poder ter a consciência de que é ele mesmo quem traça tua alegria ou infelicidade, ele mesmo, o único e inteiramente responsável (e livre) por sua inércia ou seu dinamismo. Esta consciência sempre concorda com o que ela crê, ou seja, com o que ela instaura e cria. Logo… é você quem cria tua alegria. Como li outro dia “minha felicidade depende da qualidade dos meus pensamentos”.

Um guia prático da alegria numa frase:
pense/conscientize-se/creia/aja.

VÁ EM DIREÇÃO DE ATOS… ATOS ATIVOS. ATOS VIVOS!

Advertisements

7 Comments Add yours

  1. Ana says:

    O lôôôco… tá ficando cada vez melhor hein??!! rs. Adorei o texto e com certeza me fará agir para ter mais momentos de alegria!!!

  2. Juliana says:

    também dizem que alegria é um estado de espirito… acho que concordo com isso.

    bjs

  3. Lidiane says:

    Ouvi que a felicidade é apenas um momento, se for mais do que isso já não é felicidade!
    Até parei pra pensar, mas confesso que , definitivamente, felicidade é um estado de espírito! E pelo que vejo há coração “bit acelerado” e olhinhos brilhando… 🙂
    Adorei o texto, pequena Freud! rsrrsrsr
    Beijoks

  4. Odair Ribeiro says:

    Ju, cada vez melhor. O ditado é velho, mas continua valendo: a prática leva à perfeição. Continue assim.
    Vou te sugerir mais um tema bacana: amor x paixão x sexo.
    A Rita Lee já fez uma música, mas acho que dá pra explorar um pouquinho mais o assunto…
    Parabéns, keep walking.
    Beijos

  5. Gigi says:

    Ju!
    É minha primeira vez por aqui e adorei! :o)

    Concordo com o que disse e vale lembrar que é tudo cientificamente comprovado: quando mudamos nosso comportamento, nossa fisiologia, temos uma mudança de estado de espírito. Manter-se feliz a maior parte do tempo depende muito das nossas ações.

    Bjs, saudades!
    Gi

  6. Ju Rocha says:

    Acabei de receber este email e vim deixar aqui como “adendo”: “Somos o que pensamos. Tudo o que somos surge com nossos pensamentos. Com nossos pensamentos, fazemos o nosso mundo.” (Buda)

  7. Mi says:

    Amiga, acho incrivel como você consegue colocar em um conjunto tão lindo de palavras os mais simples sentimentos e ideias.

    Só mais uma coisa: a alegria é o que faz a nossa vida valer a pena. E é uma vida bem vivida que nos enche de alegria!!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s