Menina também faz pum!

Vim romper o desconforto (hahaha, termo apropriado pro tema!) que todo começo de relacionamento gera. Em alguns casos, o desconforto impera por muito e muito tempo e as pobres meninas sofrem demais com tamanha frescura. Galera, here is the deal: menina também peida!! E menina precisa ir ao banheiro! Não é à toa que todo bendito anúncio constrangedor de “alívios intestinais” é só pra mulheres! Eles mostram as mocinhas com cara de “sbrubbles” e depois de tomarem o bendito remedinho, sorriem felizes e aliviadas. É sempre mulher! Homem não tem prisão de ventre. Homem não é fresco.
Voltei do almoço há pouco com amigas e, depois de um belo tutu de feijão (vejam bem…), o estômago de uma delas criou voz. Criou vida até. As que sentam mais próximas até sentiram um medinho… “Dio Santo, o quê há ali dentro?”, até que uma soltou, com uma voz tão doce e angelical: “é o tu-tu”. Assim mesmo: tão devagarzinho que as sílabas até foram divididas. As demais se romperam em risada e se abaixaram na mesa, tentando disfarçar o riso preso-e-solto (que nem nossos pequenos intestinos se sentem!!) e dos olhares dos chefes presentes. Aí pronto, foi o estopim pra começarem as estórias mais retardadas que todas passam, mas quase nunca contam. Abrimos a rolha e seguem algumas:
Houve uma que, em plena primeira viagem linda de começo de namoro, se hospedou num CHALÉZINHO em Monte Verde. GENTE! Chalézinho!! Quer menos privacidade e mais acústica?! Leve um chalézinho pra casa!! Não há espaço mais desconfortável em situação mais desconfortável que esta. Qual foi a saída triunfal da ser? “Que tal almoço??” E se mandou pro restaurante: usou o banheiro dali, pois precisava esvaziar pra poder comer, né? Fez todo o sentido a escolha. Sábia a menina.
A outra contou que, após mega jantar romântico com seu casinho (ainda nem tinha passado pra status “namorado” – olha a situation!), se mandaram pro apê do cara. Seus olhos se abrem rapidamente assustados com os estrondos que o barulhento fondue fazia na tua barriga. Eram 2 da madruga. Silêncio no apartamento. Silêncio na rua. Gente, o BAIRRO estava em silêncio!!! Menos ela. Menos a barriga que, revoltada com a demora pro banheiro, grunhia cada vez mais alto. Se mandou pro “toilete” num mix de “aaaaahhhhh…” com “pqp, tinha que ser hoje?!”. Rezou pro cara ter sono pesado. Não tinha. Voltou e se deparou com uma voz que vinha do escuro: “tá tudo bem?”. Acho que nunca mais se viram… Nem questionamos de tanto que ríamos.
A outra é mais cara de pau e fala mesmo pro cara: “Tó! Tá aqui meu iPod e tb tem o controle da TV. Coloca qquer um dos dois no volume máximo, por favor. Já volto.” É isso aí! Basta avisar que necessita-se de alguns minutos de privacidade acústica. A atitude que leva à plenitude.
E falando em privacidade sonora, o quê fazer qdo a ser acorda com o som do seu próprio pum com o cara dormindo do teu lado?!? Dizem as más línguas que a sensação de adrenalina que te corre pelas veias é indescritível. Que tamanho susto e coração acelerados só seriam possíveis mediante situações de MEDO mesmo, como um assalto, uma ameaça… mas não! Minha gente, não! A vergonha, mesmo quando impossível de se prever ou controlar (a ser em questão estava dormindo!!), nos remete à sensação avassaladora de pavor! E aí vem a outra desvantagem: a cabeça dispara em pensamentos que vêm de nenhum lugar e te levam pra lugar nenhum: “será que ele ouviu?” / “ai, meu coração tá tão disparado que tenho ceeeeeeerteza que o desgraçado tá até ouvindo o tum-tum-tum!” / “aaaaaiiiiiiii, pqp, não dava pra ter saído um daqueles silenciosos??” / “pq!?! pq eu acordei??!!! preferia não ter ficado sabendo que fiz isso!!” e por aí vai… Isso tudo se passando na cabeça, enquanto a ser fazia pose de quem ainda estava dormindo. Acha que enganou quem?? Hahaha, mais risadas no grupinho!!
Uma pior que a outra, mas todas igualmente sofríveis. Depois os homens nos acham chatas, cricas… claro! Estão andando com um bando de “enfezadinhas”. Não tem como ser legal com tanta merda dentro de vc. Conselho: ajudem tuas mulheres e andem com iPod e headset no outro bolso. Um leva a carteira e o outro leva o bendito aparelhinho que pode ser comparado com “provedor de alívio para o universo feminino em casos de emergência”. Gente, calma! Estou falando do iPod!!
Advertisements

23 Comments Add yours

  1. Mi says:

    Juuuu,

    Esse foi o texto mais engraçado que eu li na minha vida!!! nada podia penetrar mais no universo feminino, hahahahahahah…

  2. Odair Ribeiro says:

    hahaha adorei!!! Estou rindo muito aqui sozinho.
    Teve um episódio do sex and the city que abordou o tema. Aliás, no filme também tem uma passagem do tipo.
    Ju, um grito de liberdade para os butanos femininos.
    Não pagou aluguel, põe pra fora!!!!
    Beijos

  3. Carla says:

    Ju, concordo com a Mi…foi o texto mais engraçado. S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L. Todas as mulheres deveriam ler.
    Bjo.

  4. Daniela says:

    Ai ai que situação hein… só quem é mulher sabe como sofremos com isso, qdo começa aquele barulhinho na barriga, já dá panico total!!!! hahahaha Enquanto os homens soltam sem nem pensar ou então, alguns (os mais cara de pau!) até avisam qdo vão soltar, só pra ver a gente reclamar, xingar e eles morrerem de rir da nossa cara… é duro ser elegante e ter que manter sempre a classe! hahahaha

  5. Carol says:

    Hahahahahaha!!!
    Ju, essas coisas tem que vir de você mesmo.
    Me senti a maior peidona do pedaço, só porque uma vez estava tomando banho e soltei um daqueles desgraçados que parecem silenciosos mas ecoam por todo recinto… e o puto do namorado ouviu!!! De lá do quarto!!! E ainda perguntou o que tinha acontecido, eu, com muita classe, soltei um belo… “ESCORREGUEI”!kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Beijos!!!!
    Saudades dos nossos e-mails!

  6. Lidiane says:

    Juuu,

    Dá pra perceber o que é “sentir na pele esta emoção”…O texto foi muito fiel!
    Aliás fiel demais para o seu atual momento…haha…

    Beijoks

  7. Paloma says:

    KKKKK… A adrenalina do acordar com esse inconveniente…kkkkk a melhor descrição!! Chorei de rir!! bjssss
    Paloma

  8. Vivian says:

    Jujubinha, my dear, vc já pode participar de concursos literários! Vc tem futuro!! ;o). Beijocas,
    Vivs

  9. claubac says:

    Ae Jujuba, só você mesmo prá escrever um texto quase escatológico de forma tão engraçada!!! O iPod no talo me lembrou da Chapada…que situation!!! Beijos!!!

  10. Carla says:

    Ju, vou até comentar de novo: best ever!! 9 comments, the winner!
    Fico relendo e me mato de rir – cada vez dou mais risada!!

  11. Felipe says:

    Ju…

    O que você fez foi simplesmente acabar com a ilusão masculinas (de alguns poucos inocentes pelo menos) de um mundo perfeito…onde vocês mulheres com todo o seu charme, classe e beleza; não precisam se preocupar com problemas “gasosos”….

    O que você fez foi a mesma coisa que contar para uma pobre criança que “Papai Noel não existe!” ou é até comparável com o que um cara fez comigo quando me contou o final do filme: “Marley & Eu”.

    Isso é simplesmente abrir as cortinas e mostrar o que está por trás do espetáculo!!!

    Mas eu não te culpo. Eu sinceramente não te culpo. Isso é o reflexo da independência conquistada por vocês mulheres nos últimos anos. Isso é reflexo da Globalização. Isso é culpa do advento da Internet.
    E para afirmar isso eu me apóio em um único simples argumento:

    MINHA AVÓ NÃO FAZ ISSO!!

    Ela me disse. Eu perguntei quando tinha uns nove anos de idade. E eu acredito plenamente nas palavras dela.

    E tenho certeza também de que todas as irmãs dela (e ela tem muitas) e todas as amigas dela também não fazem.

    Deixo aqui um desafio para você Juju e para todos os leitores, perguntem para as mulheres com mais de 70 anos de vida que vocês conhecem e que tenham o mínimo de classe se elas de fato peidam!!! Vocês verão que eu estou certo no fim das contas!!!

    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    Beijos!!

  12. Zuzima says:

    Qual a mulher que não se identifica em pelo menos 1 dessas situações?! Eu mesma me identifico. Mas cá pra nós… todos os casos foram com as suas amigas do trabalho, claro! E com vc Dona JU? KKKKK
    Beijos.
    Adorei!
    Zu

  13. Cristina says:

    Ju,
    Chorei de tanto rir!!
    Só não falo que há muito tempo não ria tanto porque eu rolei de rir tb com seu post do cogumelo da Branca de Neve!
    Vc é um talento, priminha!
    Adoro ler seus textos.
    Beijossssssssssssssss

  14. Odair Ribeiro says:

    Só tem uma coisa injusta nisso tudo… você escreveu cada coisa maravilhosa e o campeão de comentários é o que fala sobre pum!!!
    Salve as flatulências!!!
    Todos os comentários foram legais, mas pra mim o Felipe é o campeão! Eu posso assegurar que a minha avó também nunca fez isso!!!!!!!! hahahahaha

  15. Cecile says:

    Muito bom mesmo!
    Achei que só eu sofria frente a essa questão !
    Ahhh, a realidade dos fatos…
    Sempre penso nisso quando aparece a possibilidade de um novo affair…Aquela doce intimidade de nosso velho e conhecido ex se foi e temos de nos aventurar em novos territórios.
    Novos amores…Como tudo na vida tem a parte boa e a parte ruim. E essa faz parte da 2ª parte. Se pinta uma viagem, ou uma noite na casa do fulano, vem aquela pergunta básica: Meu Deus como vou ao banheiro ? E eu diria que minha barriguinha é quem governa o país de meu corpo. Rainha rígida com horários e desejos !
    Um dia desses viajei com um casinho e, para resolver o problema, acordava mais cedo e ia ao banheiro do restaurante da pousada… Impossível dividir esta parte de mim. Como compartilhar esta intimidade… tão íntima ?
    Outra coisa interessante: Meu ex dizia que mulher não solta pum. Pode ? Ele ficava muito puto quando, por ordens reais havia a necessidade sofrida e premente frente a uma refeição mal digerida…

  16. Flavia Gisela says:

    Hahahahahahahaha adorei!!!!! Eu já acordei com o barulho, mas assim que meu coração começou a acelerar, decidi não perder a boa noite de sono e simplesmente determinei que tinha sido ele. Oras, eu não senti nada, apenas acordei por causa do barulho… Quem vai ter certeza??? Melhor assumir logo que foi ele!!!!
    Eu tenho uma amiga que desde o começo do namoro já foi logo levando na brincadeira. Assim que vinha um, ela não avisava e simplesmente mandava ver, e ainda puxava as cobertas pra cima dos dois e rachava o bico. Os dois se divertiam e virou disputa… Até os dias de hoje!!
    É isso, aí, viva a expressão (KKKKKKKK), viva a igualdade, viva aos puns de todas etnias, idades, gêneros e graus de intimidade!!!!!

  17. gabriela says:

    Realmente otimo!! Sempre vou lembrar de voce jogando “coins x beers” com o Ward na Italia, ele pedou e voce foi atras… “ah, ele comecou, agora e minha vez!”. Otimo!

    Mas morri de peninha da Sophie (4 anos) que voltou da escola outro dia e disse “mamae, all friends laughed at me when I had a punzinho”… e tinha cara de triste. Ai eu disse que da proxima vez ela devera rir junto. :o)

    Agora, palmas para o Ward que nao sei como fabrica tantos gases, sempre sai da cama para peidar, ja estamos juntos ha mais de dez anos!!!!

    :o) Beijo grande para minha gasosa Ju Ebons!!!

  18. Ana says:

    Pergunta pro Odair e Felipe: Suas avós que não fazem isso, ainda moram com seus avôs?? rs Porque eu posso lhes afirmar que as senhorinhas viúvas têm os intestinos mais felizes do mundo!!!!

  19. Felipe says:

    SIM!!!

    Vovó e Vovô são muito felizes juntos!!

    (mentira eles já não se aguentam mais….hahahaha)

    Mas acho que não é uma questão intestinal.

    Tenho certeza que elas foram ensinadas desde pequenas a forçar a “não-execução” do ato, o que acabou virando algo natural na cabecinha destas lindas senhoras!!!

  20. Ju Rocha says:

    Já que este post virou perguntas-e-respostas, deixo minha resposta pra querida Zuzimex: hahaha, uma das situações descritas é minha, darling! Só não conto qual – hahahaha!!

  21. Silvinho says:

    A mente do ser humano é foda mesmo !!
    Enquanto lia e rachava o bico,confesso : O assunto me deu inspiração…rs
    Soltei um daqueles,e o melhor,sem ninguém por perto…pura emoção…rs

  22. Silvinho says:

    Ju…
    Sua situação,com certeza foi a do mega jantar(Fondue),sou capaz de apostar…rs

  23. Gigi says:

    ahhahaha

    Eu tb lembrei da passagem do Sexy in the City.. Foi muito engraçado.

    E como é difícil controlar.. de manhã então, parece que o “trem” acorda sozinho.

    rs

    bjs, Ju

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s