Pau a pau

Mulher adora falar. Contar tudo. Tim-tim por tim-tim. Em detalhes. Os sórdidos, então, ah, estes são os melhores! São ouvindo estes benditos detalhes que mulheres conseguem fazer com que outras fiquem quietas. São nestes momentos que algumas fazem pose blasè, outras ficam boquiabertas, umas dão risadinhas, suspiram e algumas soltam gargalhadas que entregam o ouro pra quem está perto, mas não faz parte do cochicho.

Não fugindo à regra, seis amigas se encontraram pra um despretensioso happy hour em plena sexta fim de tarde para fugir do trânsito e, claro, colocar o papo em dia. Não só o papo, como alimentar o corpo com um belo jantar líqüido. Jantar líquido é aquele onde tudo que se come é algo possível de ser engolido sem ser mastigado. Logo… o jantar foi regado a caipirinhas: para duas delas de cachaça e para as outras, de vodka. De saquê ninguém quis porque, apesar de serem todas meninas, pro quesito bebida, as meninas são machos. As frutas em questão eram as vermelhas e as adocicadas lichias que ajudaram a bebida a descer mais rápido pro estômago e a subir mais rápido pras cabeças. O teor da fofoca era diretamente proporcional ao nível de bebedeira. Claro que é aí que entra a parte dos tais detalhes.

É questionado para uma delas como foi a troca de casinhos nos quais a cidadã estava envolvida. Como já explicado, as meninas em questão têm um lado meio yang de ser. A questionada responde: “não quis largar um osso sem antes lamber o outro pra saber se ia gostar do gosto”. Alvoroço na rodinha, acompanhado por uma animada rodada de aplausos!! Uma, mais racional, faz ar de aprovação total e lança a grande sacada na mesa: “Claro. Nada melhor que fazer uma comparação pau a pau.” A prévia excitação das meninas foi subitamente suspensa. A expressão dita há anos foi esclarecida: secamente. Simplesmente assim. Como se nada fosse. As outras da mesa se sentiram iluminadas ao, finalmente, entenderem tal expressão que usavam a torto e à direita. Expressão esta que foi, com certeza a-b-s-o-l-u-t-a, criada por uma mulher.

Fofoca é cultura.
Detalhe sórdido é informação relevante.
Álcool é ferramenta de comunicação.
E pau virou expressão. Expressão de comparação.
E ainda há quem creia que tamanho não é documento… ai, ai.

Advertisements

11 Comments Add yours

  1. Lidiane says:

    Que as pessoas tenham auto-estima o suficiente para não entender o recado! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Odair Ribeiro says:

    hahaha Ju, você realmente é uma figura. Adorei este texto. Realmente nunca tinha me ocorrido que este seria o real significado da expressão.
    Acho que agora não vai ter como esquecer…
    Beijinhos…

  3. Carolina says:

    Expressão muito bem empregada! Realmente pontual!

    Fico imaginando toda a gesticulação MANUAL existente nesta conversa… hahahahah e sendo assim, aí vai um ensinamento para toda vida: quando estiverem falando sobre o tamanho do “documento” de alguém, finjam que estão falando de potes de shampoo… e façam os movimentos das mãos em sentido vertical!

    Vivendo e aprendendo… uma vez fiz na horizontal para tentar “dimensionar” o tamanho do negócio para uma amiga… e ouvi uma gracinha de um cara de passava… hahahahaha

    FATAL!

    Beijos!!!!!!!

  4. Cecile says:

    rrrrrssss !Importantíssima questão da troca pau a pau…prefiro o jacaranda ao eucalipto de reflorestamento.

  5. Mi says:

    hahahahahhahahahaha

    Juuuuuuuuuu, infelizmente, não são apenas mulheres que fofocam, aliás, acho que homens fofocam muito mais, mas para eles, a expressão pau a pau não faz o menor sentido…talvez porque eles não sejam lá muito ligados em explicações, apenas fatos e números….hahahahahhaha…..

  6. Daniela says:

    Juuuuu adorei, como tudo que vc escreve, mas sinto muito por uma coisa… não estar neste happy hour (que com certeza foi divertidíssimo e claro super cultural!)… mas tb fico muito feliz por outra coisa… saber que uma frase aí de cima é minha!!!! hahahahaha Bjão!!!

  7. Gigi says:

    Ju… que que isso? hahah

    Me fez lembrar uma cena de filme, não me lembro qual. O rapaz estava num grupo de moças, se passando por mulher (clássico de filme) e ao estudar o universo feminino (estavam se maquiando e arrumando os cabelos), percebeu que falavam exatamente de “dimensões”, então, no auge da sua ignorância disse:

    “Não importa o tamanho do banco e sim o balanço nas ondas”

    Todas olham incrédulas e uma disse:

    “Balanço nada, eu quero é o titanic!!!”

    rs rs bjs, divertidíssimo seu post!

  8. Gigi says:

    Aliás.. tamanho do Barco..rs

  9. Vivian says:

    Demais, Ju!!! É para seguir carreira!!!

  10. Silvinho says:

    Cara…
    A coisa tá ficando boa…rs
    Se vc fosse sincera…ôôôô,Aurora !!!

  11. Ana Cristina says:

    Hahaha… imaginando a cena…
    Como são ótimos estes happys regados a uma boba bebida… a gente fica soltinha, soltinha… aí só saem realmente pensamentos filisóficos!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s