Desafio: quantas músicas têm aí?

Quem nunca se sentiu a ovelha negra da família? Não se percebeu numa festa estranha com gente esquisita, não se sentindo muito legal? E quando sabe certinho que a porra da mosca pousa só na sua sopa?? Tal certeza gera o efeito de querer ter um espírito de porco, ser um cabeça-dinossauro para descontar a raivinha… De ser como um louco mesmo, batendo o pé mais do que o corpo poderia. Ou até de sair chorando pelo campo querendo que nesta noite, não… E quando nos sentimos absolutamente únicos por termos descoberto a fórmula do amor só pra ver depois que, na verdade, a vida não presta? Naqueles dias sim, dias não, quando você sobrevivia sem um arranhão… Quem de nós dois já não teve escolha e participou do jogo, sem conseguir dizer se era bom ou mau? A vontade de querer ter alguém com quem conversar, alguém que depois não usasse o que você disse contra você mesmo. Ou quem nunca se viu na pele de um garçom, numa mesa de bar, cansado de escutar centenas de casos de amor, mas desejando que sentissem com você que seu caso não era simplesmente mais um, muito menos banal. Quem não se sentiu como um sapato velho, dono de um coração pirata que levava tudo pela frente, mas com uma alma que adivinhava o preço que cobrariam da gente? Quem nunca teve seus olhos sorrirem e o coração bater feliz sem saber o porquê? Depois vinha a sensação de, por favor, “não faça nada por mim” de tão estranho que nos sentíamos já que a tal da Alice não escreveu aquela carta de amor. Ah, a filha da puta! Aqui era nítido que qualquer palavra nada mais era que uma mera espuma ao vento, pronta pra se derreter. Por outro lado, nossos olhares dariam uma festa na hora em que nossos amores chegassem. Quando nem precisávamos que nos dessem motivo pra ir embora, pois mal havíamos chegado, nos sentindo o descobridor dos sete mares, querendo ficar bem à vontade. Provavelmente depois de tamanha entrada triunfal, a saída teve que ser à francesa… E qual homem nunca quis ser rei pra dama largar o valete e ficar com ele? Ah, e os momentos de solidão, de incompreensão, de exceção só porque você usava óculos ou já não tinha mais dedos pra contar de quantos barrancos despencou ou quantas pedras te atiraram ou quantas atirou? Os momentos de juras pra você mesmo de que o outro pode chorar, mas você não vai voltar e nem ele vai te convencer, afinal de contas, você procura por independência e acredita na distância entre vocês. O fato é que não existem receitas, muito menos 50 delas, para aprender a viver como um astronauta de mármore, sem nenhum de nós. Mas não importa o quão diferente, único ou exceção você tenha se sentido. Não importa porque simplesmente sempre haverá muito amor para recomeçar. A cada vez e sempre. Mais uma vez. Como se todo dia fosse um dia de domingo.

Advertisements

7 Comments Add yours

  1. Ana says:

    Muito bom, Ju!!!! Total confusão mental… vamos lendo, começamos a cantar a musica que lembramos e daqui a pouco vem outra e outra… e outra, rs!

  2. Carla says:

    Sua doida… rs. Colocou um monte de partes de músicas e até nome de banda! Só vc, Juju, ANIMAL. Comecei a cantar enquanto lia – rs. Adorei!

  3. LifeIsNow says:

    Caramba… sou burrão.. não percebi que eram letras de músicas diversas.. Pensei só no sentido da coisa toda..

  4. Felipe says:

    Eu sei que não era a idéia do Post….

    Mas eu realmente contei as citações!

    Vamos aos números:

    28 – Músicas
    01 – Artista / Banda
    02 – Frases pra aleatórias!!!
    01 – Palavrão

    Posso estar errado!!! Foi uma contagem rápida!!!

    Show o post!!! É praticamente uma playlist em forma de texto!!!

    Beijos!!!!!!!

  5. Silvinho says:

    Belo Cérebro…
    Exercite-o,assim vc continua “diferenciada”…rsrsrs
    Beijos !!!

  6. Odair Ribeiro says:

    Imagine all the people loving this post with so much love, love, love… All you need is love to light a candle in the wind, and all the problems disappeared. Well, you should have a ticket to ride the bicycle race with some fat bottomed girls.
    Ju, desculpe a minha tentativa tosca de fazer uma brincadeira com seu post 🙂
    Adorei a idéia, eu faço muito isso no dia a dia mas não juntando partes de canções, mas citando alguns trechos pra fazer analogia em certas situações.
    Anyway, music is in my blood and I just LLOOOOVVED your idea. You are really “simply the best”.
    Te admiro cada dia mais.
    Bjs,
    Od

  7. Mario Mendes says:

    Ai, quanto apego! “Quem não se sentiu como um sapato velho, dono de um coração pirata que levava tudo pela frente, mas com uma alma que adivinhava o preço que cobrariam da gente?”

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s