Fim de tarde: início de dia

Era uma quase noite de verão e todos estavam em seus respectivos trabalhos. Podiam ver das janelas de seus escritórios o sol se misturando às nuvens criando tons belíssimos de azul, rosa e dourado. Os que trabalhavam em andares mais altos esbanjavam tal benefício tirando fotos e as enviando pros amigos pelo celular. O final da tarde pedia atenção. E merecia mesmo toda a atenção possível. Foi a partir de uma destas fotos que surgiu a idéia de todos se encontrarem. Não um encontro qualquer e planejado. Era pra saírem naquele exato momento de onde quer que estivessem e fossem brindar aquela terça corrida num parque comum. O efeito foi imediato em todos, como uma coceira repentina que você não consegue disfarçar. Um endireitou-se na cadeira e olhou em volta. O outro não pensou nem meia vez e mandou um “a caminho” num SMS geral. A terceira foi até o chefe comunicar que seu cachorro estava passando mal e ia sair naquele momento. Não se importou com o olhar do chefe de “ué… mas ela tem cachorro?”. Outros 2 que trabalhavam perto combinaram de irem juntos para já irem papeando no carro e, por estarem a 2, levariam as cervejas. A última pensou, mordeu os lábios em dúvida (ou seria tentação?), balançou o pé direito freneticamente e mexeu a caneta BIC com os dedos. Antes de decidir sair num ímpeto, fechou alguns cálculos, mandou mais 3 emails urgentes e saiu apressada. Fez questão de olhar por detrás dos óculos para que ninguém a visse carregando a bolsa.

Em questão de 20 minutos, todos estavam juntos. Os últimos a chegarem foram os 2 que carregavam sacolas plásticas com mini-garrafas de cerveja que pareciam fazer um “baticum” dos vidros batendo um contra o outro. Alguém ligou uma musiquinha  tranqüila e perfeita no iPod em homenagem ao céu e sentaram-se próximos, mas cada um numa posição e cada um olhando pra um ponto específico do cobertor azul, rosa e dourado que lhes envolvia. O tin-tin do brinde foi feito com sorriso. Nenhum pareceu encontrar uma palavra para definir o que o sorriso de todos descrevia. Quando deram o primeiro gole, um deitou-se na grama com os braços bem estendidos e soltou um “putaqueopariuestecéu!!”, causando gargalhada geral. Soltaram o que havia ficado preso no sorriso do brinde. Então brindaram novamente com o palavrão em uníssono e voltaram a olhar pro céu.

Pra eles, o dia estava apenas começando.

Advertisements

2 Comments Add yours

  1. Od says:

    Putaquepariu, que post legal!!! hahaha
    Adorei.
    Bjs

  2. Felipe says:

    Imagino quantas vezes deixei de fazer coisas simples, marcantes e especiais como essa por achar que tinha coisas mais importantes para fazer…..

    Se existiram espero nunca saber.

    Um brinde à ignorância!

    PS.: Como já disse (pessoalmente): Fantastic Post!!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s