Frescura de uma noite de verão

Ela saiu naquela noite quente com os costumeiros amigos para uma costumeira balada. Lá chegando, sorriu por dentro ao rever uma turma de Aracaju que ela e os amigos haviam conhecido há quase 5 meses. Na verdade, não sorriu por isso, mas sim por conta de um alto, moreno e super charmoso por quem já havia sentido atração na tal noite de 5 meses atrás. Naquela noite, ela escolhera outro paquera (reparem que ambos possuem a mesma profissão) por ser um “local” e, consequentemente, ter mais chances de repetecos. O tal moreno-alto-bonito-sensual era, a bem da verdade, um gostoso sem precedentes. Já sentindo certo ardor no estômago, a moça o cumprimentou e antes de dar tempo do intervalo “beijo de cumprimento” para um “tudo bem?”, o gostoso a amarra pela cintura com seu braço, a puxa para perto e diz: “sabe que da outra vez você escolheu o médico errado, né?”. Ainda bem que ele a segurava forte porque as pernas cambalearam. Sorriram um para o outro com aquele olhar que só quem flerta entende: “estamos marcados um para o outro hoje.” Dito e feito.

Ele já veio cheio de papo, graça, a rondava, a seguia, fazia piadas, a tocava em partes ainda permitidas, enfim jogo de sedução pura até que, obviamente, ela não resistiu. Quando veio a hora do beijo, ela foi com tudo também. E que beijo! Entre o entorpecimento e a necessidade de manter-se focada para ficar de pé, ela concordou mentalmente com o que ele havia dito antes: ela escolhera mesmo o errado da outra vez. Perdeu o raciocínio de novo ainda no mesmo beijo e a noite foi só melhorando. O cara era, sem dúvida, a coisa mais deliciosa (apesar de ser casado e tem uma filha – o que, ela confessou para si mesma, não o deixou menos interessante – até porque ela mesma sabia que era só curtição! enfim, tudo acertado e justificado).
Resumo da ópera: foi uma loucura! Ficaram juntos a noite inteira, grudados, se beijando muito, numa sintonia total e absurda (única!) e dançaram, brincaram, fizeram passinhos na pista imitando as pessoas, beijaram mais, riram, se adoraram. Soube que a boca da moça até sangrou! A barba tanto roçou que a esfolou! Pele de lady é outra coisa. Na pegação forte, até brinco a moça perdeu. Ou seja, o cara devia mesmo ser um gostoso porque, lendo assim, o saldo final para ela não está lá tão positivo. E o pior é o que o saldo ainda piora: foi engraçadíssimo ver a moça soltar-se do moço e começar a tossir. “Quanto romantismo”. Depois que soube, ri ainda mais: ela havia, enlouquecida pelo calor do momento, engolido seu chiclete! Sensacional! O rapaz realmente vale a pena. Ponto para o time dos meninos! Senti orgulho nessa hora: se é pra fazer, que faça bem feito. Represente bem a classe!

Na hora de ir embora, claro que ela, lady como é, ofereceu carona para que ele não fosse de táxi. Esperto que ele é, obviamente que aceitou – até porque teria pedido, caso ela não tivesse oferecido. Na porta, a moça travou. Queria subir, se esbaldar, matar a curiosidade, perder a lady dentro de si e encontrar a desbravadora que sabia que dividia espaço com a lady, mas a lady falou mais alto: não havia se depilado ao que julgava o ponto perfeito. O moço, por sua vez, ficou sem entender nada. Ele tinha certeza que estava lidando com uma mulher e não uma adolescente, não acreditou em nenhuma das desculpinhas esfarrapadas da moça quando, de repente, pensou: “ela também é casada! que merda… tá cheia de culpa”. Entendeu aquilo com verdade absoluta em sua cabeça sem ao menos questionar a pretendente à meretiz. Rapidamente, inventou ele também uma desculpa, a beijou ardentemente e saiu do carro o mais rápido que conseguiu antes que a atacasse ali mesmo – não queria correr o risco de dar à sua filha um meio irmão naquela noite.

A moça ficou com cara de “ué”, pensou um pouco sobre o que aconteceu, chegou à conclusão que todo homem é igual mesmo, ou seja, louco e que ela havia escolhido o médico errado de novo.

Ele demorou um pouco mais para dormir e menos calmo do que gostaria, mas certo que fizera a coisa certa.

O que de fato sei é que ambos escolheram a “frescura” errada para abrandar o calor da noite e dos seus corpos.

Advertisements

One Comment Add yours

  1. Van :) says:

    Adorei esse Ju!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s